Visite minha FanPage Siga-me no Twitter Veja meu Perfil Acesse meu Canal Leia meu Blog
Fev 04

Marquinho diz que irá á justiça provar suas palavras sobre oferta de propina

O vereador Marquinho Amaral (PSDB) rebateu as declarações do Prefeito Paulo Altomani (PSDB) feitas durante a coletiva realizada na tarde desta quarta-feira (03). O vereador afirmou que ficou feliz em saber que será processado por causa das declarações feitas na Tribuna da Câmara na última terça-feira (02). Marquinho afirmou que o prefeito ofereceu R$2 milhões para que fosse aprovada a concessão do SAAE (Serviço Autônomo de Água e Esgoto) para a iniciativa privada. “O prefeito tenta me calar, me ameaçando, mas não vai conseguir, porque tenho 24 anos de vida pública e não tenho um processo de improbidade administrativa, roubo, superfaturamento, já ele tem mais de 80 no Ministério Público, ele mesmo diz isso”, afirmou.

Para Amaral as atitudes do prefeito não intimidam. “Eu não vou me calar, vou continuar a denunciar aquilo que sei e sendo um vereador independente, agora pergunto: será que um homem que coleciona tantos processos por improbidade, dispensa de licitação é o homem mais honesto? Será que é ético um homem que tenta se passar por paladino da moralidade ter tantos processos?” indagou. “Reafirmo o que disse na tribuna da Câmara que estive muitas vezes com o prefeito municipal e que numa delas ele me ofereceu R$2 milhões para que pudesse facilitar colocar na pauta, um processo para cancelar o artigo 128 da Lei Orgânica Municipal, e depois para a concessão e privatização do SAAE”.

O vereador disse ainda que respeita todas as instituições e que nunca crio problemas com a Justiça. “Recentemente arrumou confusão com uma oficial de justiça que foi lhe comunicar sobre mais dois processos que ele possui, ele deixou São Carlos ficar sem comando, a cidade está á deriva”.

 

“Quero continuar de cabeça erguida, quero que ele me processe, que isso não seja mais uma de suas promessas, pois na Justiça vou provar o que disse na tribuna, como fiz com o caso do ex-prefeito de Campo Limpo Paulista”, adivertiu.